quinta-feira, 21 de abril de 2016

Dicas de Intercâmbio: Argentina (Mendoza), AIESEC e muito amor!


Eu não sei direito o que contar sobre minha experiência de quase 50 dias, na qual vivi um intercâmbio que me deu direito de conhecer dois países (Argentina e o Chile). Pensei em falar sobre as cidades da qual vivi, depois pensei em falar sobre os lugares que conheci, aí me lembrei que também seria interessante falar sobre a minha experiência de intercâmbio que foi para fazer trabalho voluntário num projeto chamado Cidadão Global promovido pela AIESEC (uma associação estudantil de jovens universitários do mundo inteiro). São milhões de itens que quero escrever, mas não sei por qual começar e na verdade nem sei se alguém teria interesse em saber e ler. Resolvi nesse primeiro post elencar em formas de perguntas e respostas algumas coisas básicas para quem está indo viajar ou que ficou curioso.

- Porque você escolheu viajar pela AIESEC?
Eu escolhi a AIESEC por vários motivos, primeiro porque eu queria a muito tempo viajar para outro país, porém eu nunca tinha viajado sozinha, era insegura, tinha medo, nunca tinha saído do Brasil e nunca fui rica e por isso precisava de algo que fosse barato. Ir pela AIESEC me forneceria segurança de contar com suporte de pessoas que me ajudariam tanto aqui na minha cidade quanto na cidade que eu ficaria, além também de ser uma alternativa muito econômica. Mas além disso a AIESEC tinha uma proposta que me agradava muito que era de alguma forma realizar algum trabalho social que ajudaria muitas pessoas e também me ajudaria a desenvolver autonomia, liderança, habilidades sociais e habilidades práticas. Era como um combo, ajudar pessoas, receber ajuda. E mais que isso não só viajar por viajar mais viajar com um objetivo.

-Porque escolheu a Argentina? Porque Mendoza?
Eu não sei muito bem o que me levou para a Argentina! Na verdade minha ideia inicial sempre foi ir para o Peru, mas alguma coisa me puxou para lá como um imã e eu nem sei direito o que foi. A ideia era de ir para a América Latina por três motivos. Primeiro por causa do idioma, eu realmente não me sinto segura com meu inglês e vi a oportunidade de aprender espanhol. Segundo porque o dólar estava muito alto e indo para um país da América Latina a nossa moeda seria mais valorizada e por último eu tinha aquela falsa sensação que eu estaria mais perto de casa, numa cultura mais parecida com a minha. E sobre Mendoza porque a cidade parecia linda demais, a ideia de ser a cidade dos vinhos me atraia muito e além disso estava muito perto do Chile do qual eu queria conhecer também.


-O que você achou da cidade de Mendoza?
Todo mundo que conversei antes de ir e que eu perguntei sobre Mendoza me falaram a mesma coisa e mesmo assim fui teimosa e insisti na ideia de ir para lá. Comentários do tipo "o povo mendocino é muito fechado" "eles são meio frios"  foram muito comuns. E sim senti isso na pele. Eles são muito fechados, mas te garanto não fazem isso por mal, é simplesmente o jeito deles, como meus amigos argentinos me falavam, eles são um povo da montanha, pessoas da montanha são assim. No começo me assustei muito, mas depois me acostumei. Se você procura amabilidade, dizem que o lugar ideal é ir para Córdoba! Mas te garanto quando você ganha a confiança dos mendocinos, eles passam a ser muito leais e amigos! Sobre a cidade em geral, foi uma das experiência mas incríveis que tive, lá era lindo demais, muito diferente da minha cidade. Com muitas praças, muito arborizado, com pouquíssimos prédios (por causa dos terremotos), com muitos espaços públicos de lazer, vinhedos e paisagens de tirar o folego, ah e com uma excelente qualidade de vida. 

E o que achou do escritório da AIESEC de Mendoza?
Quanto a AIESEC de lá, acho que ela é meio que um reflexo da cidade, achei que ia fazer muito mais amizade com a galera que participa da associação, mas foram pouquíssimas pessoas que fizeram amizade com os intercambistas. (as amizades que fiz por lá foi com intercambistas, pessoas que estavam hospedando meus amigos intercambistas e outros amigos que era amigo do amigo, sabe?) Sobre o trabalho deles, é complicado dizer ao certo, muitas vezes eu achei tudo muito desorganizado, senti em algumas situações falta de apoio, porém não posso generalizar porque teve pessoas incríveis que me ajudaram muito, e que também viraram verdadeiros amigos. Eu comecei a achar que foi essa falta de suporte que me possibilitou realmente desenvolver várias habilidades das quais não desenvolveria se eu tivesse alguém sempre ali para me salvar. (Porém dizem que existem escritórios da AIESEC em outras cidades da Argentina que dão mais suporte).


Sobre seu projeto?
Eu simplesmente AMEEEI o projeto que desenvolvi por lá. Teve perrengue? Teve. Foi difícil? Foi. Deu errado? Muitas coisas deram. Mas ao mesmo tempo foi incrível sabe? No começo foi muito difícil, as coisas estavam muito desorganizadas, eramos um grupo de 9 pessoas trabalhando juntos, e todos tinham ideias, objetivos e as vezes línguas diferentes. Aconteciam conflitos, tinha problemas, mas depois com o tempo as coisas foram se organizando, foi melhorando, e quando você começa enxergar as coisas boas e o lado bom tudo fica mais fácil. Eu aprendi muito, desenvolvi muitas coisas em mim e acredito que também ajudei. Trabalhei numa ONG que precisava muito de ajuda, as crianças precisavam de ajuda, as mães precisavam de ajuda e não só isso a ONG também precisava de ajuda para se estruturar, para se organizar, para ajudar mais pessoas. E acho que perceber as demandas do lugar e tentar ajudar foi um aprendizado e tanto. E foi lá que conheci as melhores pessoas, da qual tenho uma gratidão enorme e que admiro muito.

Como foi sua experiência?
Foi incrível, engraçado isso, mesmo com todos os problemas que tive e foram muitos (eu fiquei numa casa de família horrível, da qual me dá vontade de chorar só de lembrar, fui roubada no Chile, não sabia falar espanhol direito, me perdi várias vezes e passeis por vários outros perrengues), mas mesmo com tudo isso, vivi tantas, mas tantas coisas boas, conheci pessoas incríveis, fui para lugares maravilhosos e só posso dizer que foram dias que entraram na minha lista de dias mais felizes da minha vida. Foi o período que eu mais amadureci, que me trouxe autoconhecimento, felicidade, oportunidade, amigos, experiências, aprendizado e histórias! Acho que se precisasse passaria por tudo isso de novo! Porque foi lindo e me fez crescer! Super recomendo para todo mundo e só queria repetir pelo resto da minha trajetória viagens como essa.

Bom a ideia do post era isso! Não sei se eles serão úteis, mas resolvi escrever também para não esquecer e guardar de recordação! Queria mostrar que viajar não é mil maravilhas, mas que talvez seja justamente por isso que é uma experiência tão incrível e inesquecível. Pretendo fazer outros post sobre meu intercâmbio, como curiosidades do país, língua, lugares que conheci, fotos, a minha ida ao Chile <3, dicas, etc!

4 comentários:

  1. Achei super legal a forma como você apresentou partes de seu intercâmbio e fiquei curiosa para saber mais. Sou totalmente medrosa e tenho certeza que não lidaria bem tendo que me virar sozinha em outro país, mas é bom saber que nem todo mundo é que nem eu hahahha Estou esperando o próximo post, Bi! Beijinhos, Beatriz.

    www.odiariodeumaescritorainiciante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. ahahhahahaha eu também sou! Te juro que fiquei morrendo de medo antes de ir!! Fico feliz que tenha gostado! Pretendo postar muitas coisas! beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Oi,adorei o post!Também estou interessada em ir fazer intercâmbio na Argentina,você poderia me esclarecer relacionado a valores, hospedagem e transporte , em media quais foram seus gastos? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana desculpa só vi seu comentário agora... Espero que você consiga vê-lo de alguma maneira! Então como eu fiz o intercâmbio pela Aiesec os preços ficaram bem mais em conta. Na época que fui o real estava bem mais desvalorizado, acredito que se você fosse agora conseguiria gastar bem menos do que gastei. Eu não gastei em hospedagem porque na aiesec está incluído hospedagem, em relação a transporte o ônibus custava em média 7 pesos, lá eles cobram um valor dependendo do lugar que vc vai, quanto mais perto mais barato... Em relação a metro em Mendoza não tem mas em Buenos Aires é bem barato são uns 4 pesos (tipo 1 real), comida depende muito do que você for comer, uma refeição completa com bebida em bons restaurantes custava em média 140 pesos, mas você pode economizar muito comprando comida no supermercado e cozinhando (era o que eu fazia)... Qualquer coisa me escreva por email que posso te passar mais dicas e valores certinhos! Beijinhos!

      Excluir

Bem-vindos ao Janela Dela! Obrigada por escrever seu comentário e por dividir comigo as visões de suas janelas. Deixe seu blog, assim retribuirei sua visitinha (: